Ableton Live 10 chegou! Demos uma olhada na versão recém lançada do software e selecionamos 5 novidades incríveis para você. Continue lendo para aprender mais.

A última atualização do Daw mais popular do mercado, especialmente entre produtores de música eletrônica e djs, trouxe melhorias em sua usabilidade e novas ferramentas.

5 Anos se passaram desde o lançamento do Ableton Live 9. Apesar desse intervalo, Ableton manteve o Daw recebendo diversas “melhorias”. Mas a verdadeira atualização foi anunciada somente no começo desse ano.

 

Melhorias no fluxo de trabalho

Ableton Live 10 melhorou diversos pequenos recursos internos, deixando as interações entre humano e máquina muito mais fluídas.

São inúmeros micro ajustes, mas podemos apontar como uma das principais atualizações a possibilidade de editar múltiplos clipes MIDI.

Se pensarmos nessa função isoladamente, ela não parece grande coisa. Mas se somadas todas as melhorias, percebemos a verdadeira mágica.

Uma função similar à Capture Record do Daw Logic Pro foi incluída no Live 10. Ela automaticamente grava as notas midi pressionadas antes mesmo do rec estar ativado. Isso facilita a captura de pequenas jams que às vezes soam incríveis e são difíceis de serem repetidas.

O tão esperado “grupo de grupos” finalmente chegou. Agora é possível criar grupos maiores e colocar dentro deles pequenos grupos, como por exemplo, um grupo de bateria com grupos internos de percussões, hi-hats, etc. Sensacional.

Navegar pelo browser ficou mais prático. Novos modos de busca e classificação de plugins e ferramentas foram incluídos para agilizar o processo.

O Max for Live do Ableton Live 9, ferramenta de sucesso que abriu espaço para muitas possibilidades, foi totalmente integrado ao Live 10. Agora faz parte da versão base do daw.

Em geral dá pra notar logo de cara que o Live 10 é muito mais leve, intuitivo e prático em relação à versão anterior. Esteticamente o software também ficou mais agradável, com opções de cores mais sóbrias e a introdução de fontes customizáveis.

 

Delay + Reverb? Echo!

Echo é um dos efeitos nativos incorporados ao Ableton Live 10. Ele é uma mistura entre dois efeitos já conhecidos: delay e o reverb.

Ao invés de utilizar um mecanismo copiado de equipamentos analógicos reais, Echo combina recursos de vários clássicos, criando uma característica sônica própria.

O efeito é basicamente algo novo, situado entre delay e reverb. Ajustes no pan, no tempo das reverberações e nas repetições podem ser feitos para criar combinações totalmente originais.

Alguns dos presets são excepcionais. Selecione Tape Reverb Space e tenha em seu daw um efeito muito similar ao lendário delay de fita Roland Space Echo, além dos outros muitos presets incríveis.

Se você é apaixonado por sons com texturas e ambiências detalhadas esse efeito vai te fazer suspirar.

 

Mais que um Pedal

A maioria dos Daws inclui algum tipo de nativo com efeitos estilo pedaleiras de guitarra. Ableton 10 também entrou na brincadeira.

O dispositivo mais novo do daw, Pedal, inclui distorção, overdrive e fuzz. Todos soam os efeitos possuem poucos controles para ajustes, mas soam extremamente bem.

Esse é muito provavelmente o recurso menos interessante em comparação com os outros. Mas ainda assim é uma boa adição.

 

Faça sua bateria brilhar com o Drum Buss

Os plugins transient shapers fazem parte da lista de “must have” de muitos produtores e o Ableton Live até então não tinha nada do tipo.

A atualização para a versão 10 incluiu um nativo dedicado a esculpir o transient dos sons, especialmente sons percussivos.

Drum Buss foi pensado de forma muito inteligente. Incluíram em um único plugin recursos de outras ferramentas usadas praticamente 100% do tempo em certos estilos.

Ele inclui um drive com 3 níveis de efetividade, compressor,transient shaper e equalizador. Tudo isso em um único nativo, ultra prático e fácil de configurar. Soa até meio estranho, parece mágica. É jogar Drum Buss na bateria e girar 2 botões: pronto. Ela já está soando melhor.

 

Novo sintetizador virtual Wavetable

Wavetable é o nome do mais novo softsynth nativo do Ableton Live 10. Ele utiliza um tipo de síntese diferente, mais complexa em relação aos outros dois synths, Operator e Analog.

Ele soa extremamente bem. Inclui algumas seções com samples de sintetizadores clássicos, com sons icônicos, como por exemplo, Oberheim, Minimoog e Juno.

Wavetable foi pensado a partir da interação com as controladoras Push, especialmente a segunda versão que inclui um visor hd mais sofisticado. Usando a Push 2 é possível tirar maior proveito do softsynth e extrair seu melhor via controles perfeitamente ajustados.

E por falar em Push 2, Live 10 também melhorou o layout dos equalizadores internos e do compressor para a controladora. Além dos novo layout do sequenciador e display das notas exclusivo para a Push.

 

Ableton Live 10 já está disponível em suas três versões: Intro ($99), Standard ($449) e Suite ($749). Se você comprou a versão 9 anteriormente também é possível fazer o upgrade para a 10 com desconto.