Som e luz são elementos fundamentais para a construção de uma experiência sinestésica completa em um evento memorável. Buscando envolver aspectos para além do sonoro, Pioneer desenvolveu a RB-DMX1, uma solução portátil para djs móveis dedicada exclusivamente à iluminação. Acompanhe o nosso review e saiba mais.

Fora do contexto glamouroso das grandes casas noturnas e dos monstruosos festivais que contam com sistemas de luz de última geração (e custam fortunas), como fazem os djs em eventos de menor escala? RB-DMX1 que pode ser a resposta.

Em resumo, Pioneer RB-DMX1 é uma interface que sincroniza as músicas executadas com o sistema de luz. A interface pode ser facilmente plugada ao  computador via USB e depois ligada à iluminação via conexão XLR.

O dispositivo em geral é facilmente compreendido por usuários mais habituados a trabalhar com sistemas de iluminação, mas pode parecer um tanto quanto confusa para novatos.

Pioneer RB-DMX1 – Uma olhada mais de perto

Na caixa encontramos a interface RB DMX1, um cabo USB para o computador e um cabo XLR para a mesa DMX. Além desses acessórios, ela vai acompanhada de uma cópia do Rekordbox Dj da Pioneer, uma vez que é o único software compatível com o dispositivo.

A única forma de configurar a RB DMX1 através do RekordBox Dj, portanto faz mais que sentido ele fazer parte do pacote.

Ao que tudo indica, a interface surge como um contraponto em relação ao concorrente SoundSwitch, que é compatível principalmente com Serato Dj e Virtual Dj, mas também de forma limitada com Traktor e Ableton Live.

Aspectos físicos

A carcaça da RB DMX 1 é feita em alumínio resistente, bem sólido. Ele passa a sensação de que o aparelho pode durar 100 anos.

DMX1 é bem compacta, medindo aproximadamente 9 x 9 x 5 centímetros. Bem fácil de ser transportada na case junto dos equipamentos para tocar ou até mesmo de uma bag para fone de ouvido, dependendo do tamanho desta.

RekordBox 5

A versão mais atual do RekordBox foi otimizada para incluir configurações dedicadas ao sistema de luz.

Um dos recursos mais legais é o “Analisador de Frase”, em uma tradução livre. Ele basicamente analisa a faixa por inteiro e determina os pontos onde há alguma alteração na dinâmica.

Esses momentos onde a energia da música é aumentada, como por exemplo, no refrão ou diminuída, nos breaks, interferem na forma como a iluminação se comporta.

O recurso automaticamente sincroniza o jogo de luz com o som, criando situações que geram quantias de tensão ou relaxamento muito maiores durante a apresentação.

Ao passar as faixas pelo analisador de frase, o gráfico da onda adquire uma forma específica, indicando visualmente segmentos importantes para a orientação da iluminação.

Nesse estágio o sistema já configura previamente um jogo de luzes com cores determinadas. Usuários mais exigentes podem desenvolver configurações próprias, de acordo com suas preferências e necessidades.

O modo luz tem três menus separados: biblioteca de luminárias, mapeamento macro e editor de macro.

Biblioteca de luminárias

A função desse menu é indicar qual o sistema de iluminação a ser utilizado no ambiente. Ele possui um banco de dados que inclui muitos modelos, tanto de marcas famosas, como de marcas desconhecidas.

Caso a marca ou modelo dos seus aparelhos de iluminação não façam parte da biblioteca nativa da Pioneer, é necessário abrir um ticket solicitando a inclusão. Aparentemente o procedimento é simples.

A configuração do setup para utilizar com a Pioneer RB-DMX1 é bem simples, apesar de parecer um pouco confuso à primeira vista. É necessário escolher o modelo de iluminação adequado na lista e depois jogá-lo no grid.

Após incluir todos os dispositivos que serão utilizados no grid, é necessário confirmar se estão conectados via display visual e por final, determinar uma função para cada um.

Mapeamento Macro

Os macros são movimentos programados para o jogo de luzes ativo. O usuário deve escolher entre as “scenes” (cenas) indicadas por ícones e cores.

É possível ajustar a intensidade das luzes e as cores das scenes a serem inseridas nas posições chave definidas pela estrutura das músicas. Por exemplo, se o dj quiser colocar a cor de um break como azul, basta arrastar uma scene azul para a phrase indicada como break. Simples assim!

Esse processo simplificado é conhecido como building blocks ou blocos de montar, algo similar ao lego. Arraste uma peça e conecte à outra. Ao final do processo você terá uma definição do jogo de luzes adequada o seu estilo de som.

Você pode definir a iluminação conforme o humor da apresentação: cool, natural, hot, club 1 e 2, subtle, warm e vivid. Além dessas pré-configurações, dá também para fazer ajustes manuais, editando cada scene individualmente.

rb dmx1 pioneer

Editor de Macros

Editar as macros é quase como usar um Daw, mas ao invés de trabalhar com áudio, a ferramenta cria uma timeline para manipular a luz.

É possível fazer automações que controlam a intensidade das luzes, a cor ou ligar e desligar. Dá pra controlar a velocidade dos strobos e outras funções incríveis.

Com certeza esse é o recurso mais avançado e interessante do software. Ajustes cirúrgicos e configurações totalmente personalizadas podem ser feitas com um pouco de paciência e disposição.

Por outro lado, é também no editor de macros que alguns problemas aparecem. Algumas configurações são trabalhosas e pouco responsivas, necessitando  várias tentativas até funcionarem da forma que se esperava.

Apesar de serem problemas mais relacionados à usabilidade, eles dificultam a interação entre usuário e ferramenta, deixando o processo por vezes cansativo.

A boa notícia é que esses problemas normalmente são resolvidos com algumas poucas atualizações. Basta que a Pioneer se dedique a corrigir esses pequenos bugs e problemas de mal funcionamento e pronto, a ferramenta deve brilhar.

Conclusão

Podemos definir a interface Pioneer RB-DMX1 como um complemento muito bem vindo, especialmente para djs móveis interessados em deixar suas apresentações mais marcantes.

RB DMX1 é compacta, fácil de ser transportada e com configurações relativamente simples. Seu principal aspecto negativo está relacionado aos bugs e problemas de usabilidade.

Se levarmos em consideração que essa é a primeira versão do RekordBox com recursos de luz, e se compararmos com a primeira versão do RekordBox (toda cheia de bugs e problemas), veremos que a Pioneer deve resolver essas questões menores nos próximos patches.

A interface RB-DMX1 apresenta-se como uma ótima parceira para djs em constante movimento entre casas noturnas, festivais e eventos. Ela promete fornecer um aspecto visual às apresentações muito mais interessante.

Resta-nos saber se Pioneer vai se empenhar em fazer os ajustes necessários para deixar tudo perfeito. Falando em Pioneer, fizemos alguns posts sobre outros equipamentos do fabricante: Pioneer HDJ-S7 e Pioneer DDJ-SB3

Quer completar seu setup com a interface Pioneer RB-DMX1?

Compre agora Pioneer RB-DMX1!