KRK e Stanton, empresas com boa reputação no mercado de equipamentos para áudio, parecem estar passando por problemas complicados. É que a companhia “mãe” dessas outras duas, a gigante Gibson, declarou falência essa semana. Continue lendo e entenda.

Consagrada mundialmente como a principal e melhor fabricante de guitarras do mundo, Gibson parece estar com seus dias contados. De acordo com dados os dados publicados pelo The Guardian, a empresa possui estimadamente $500 milhões de dólares em dívidas.

Em 2014, Gibson tentou reformular sua forma de vender guitarras, assumindo uma postura mais ligada à um “estilo de vida” envolvendo a música. A mudança veio como resposta à queda vertiginosa das vendas.

O mercado de instrumentos musicais está sofrendo uma profunda transformação. A música eletrônica em constante expansão gerou uma demanda crescente por controladoras, toca-discos, mixers e equipamentos para dj.

Além desse movimento, também podemos verificar outro fator importante. O surgimento de dispositivos virtuais, DAWs, plugins e outras ferramentas digitais, que baratearam o custo de se produzir música, colocando em cena uma variedade de produtos a competir com os instrumentos musicais.

Gibson comprou há alguns anos as marcas independentes, Stanton e KRK. Ambas as companhias foram adquiridas devido aos altos índices em vendas de equipamentos de entrada e intermediários para produtores musicais e Djs.

Mas os problemas nas vendas de guitarras não se limita à Gibson. Mesmo após 10 anos passados desde a recessão (2008), o cenário americano não parece muito positivo. Em 2017 as vendas bateram a marca de 2,633,000 unidades vendidas, parece muito, mas representa 5% a menos do que o número de vendas em 2008, o ano da crise.

A gigante americana em vendas de guitarras, Guitar Center, está com aproximadamente $1,6 bilhões em dívidas. Você leu direito… as coisas não andam bem. Por outro lado, os números de vendas em sintetizadores, controladoras, equipamentos para djs e estúdio só aumentam. O mercado está mudando de foco.

Esperamos que a Gibson se mantenha como uma companhia resiliente, afinal, sua trajetória está intimamente ligada à história do rock mundial. Por aqui a recepção dos equipamentos da KRK (em especial os monitores) e Stanton é muito positiva. Ficar sem eles não seria boa coisa.

A boa notícia é que ambas as marcas seguirão seus negócios sem interrupções, pelo menos por enquanto.

Gosta de notícias?

Saiba mais