Lembra da Pulselocker? Sumiu no fim do ano passado e até recentemente ninguém sabia muito bem o que havia acontecido. Mas ao que tudo indica o gigante Beatport está por trás disso. Leia mais e descubra.

O serviço que oferecia músicas em alta qualidade para djs, Pulselocker, encerrou suas atividades em novembro de 2017 sem qualquer aviso prévio.

A companhia funcionava a partir de um modelo de negócio promissor, ela permitia que os djs utilizassem as músicas nos softwares de discotecagem em um ambiente offline sem a necessidade de comprar as faixas.

Algo similar ao modelo utilizado pelos serviços de streaming, Spotify, Deezer, etc.

 

De acordo com o CEO do Beatport, Robb McDaniels:

“Pulselocker gastou anos desenvolvendo uma solução inovativa que provê aos djs flexibilidade para acessar o conteúdo que os interesse a qualquer hora – tudo através do sofwares que eles desejam utilizar – provendo ao mesmo tempo segurança aos detentores dos direitos autorais e mecanismos de tracking para calcular o pagamento de royalties”.

Disse o CEO em outra declaração:

“Beatport está empenhada em fornecer as melhores ferramentas para criar uma experiência ao usuário mais transparente e interoperável para nosso enorme ecossistema de DJs, e a Pulselocker acelera nossa linha do tempo para entregar exatamente esse tipo de produto.”

 

Pulselocker será fundida com a gigante em vendas de músicas para djs, Beatport, mas será que os usuários vão aderir a essas mudanças?

Ao encerrar completamente as atividades da Pulselocker ano passado, praticamente todos os usuários perderam seus arquivos salvos e configurações.

Ainda por cima foram cobrados pelo uso do serviço e não receberam qualquer tipo de explicação por parte da companhia. Isso deve ter sido muito frustrante e provavelmente abalou a confiança entre o provedor de serviços e seus usuários.

Ao que tudo indica, Pulselocker provavelmente não será mais o nome da ferramenta. Os últimos eventos foram muito frustrantes aos usuários e por isso Beatport deve assumir o negócio com outra cara.

 

Esse é um movimento da empresa que visa recuperar um pouco da imagem prejudicada por ações anteriores.

Quando Pulselocker ainda estava ativa a plataforma contava com diversas integrações com os principais softwares de discotecagem, incluindo Rekordbox, Serato, Traktor e Virtual Dj.

Geralmente essas integrações demandam um tipo de programação específico que permita que os sistemas se conectem. Após encerrar as atividades abruptamente, Pulselocker perdeu pontos com seus parceiros.

Muito provavelmente essas empresas pensariam duas vezes antes de topar uma nova parceria.

 

Beatport tem condições de mudar essa situação. Mas o serviço precisa ser relançado ainda melhor do que sua primeira versão.

Ao conectar sua livraria com gravadoras, selos, distribuidores e artistas, a ferramenta tem o potencial de superar seu predecessor, recuperando o público.